Posted on ()

Nova cápsula da Nespresso procura desmistificar o café sem cafeína.

O café descafeinado não é igual ao que tem cafeína? É menos forte, mais aguado e com menos sabor? Faz mal à saúde por causa dos químicos usados para tirar a cafeína ao grão do café? Este são alguns dos mitos que a Nespresso procura desmistificar durante um encontro com jornalistas no Peixe em Lisboa, nesta sexta-feira.

O que é a cafeína no grão do café? Se olharmos para o grão ainda verde, a cafeína é um pó branco que o envolve e que é solúvel. Por isso, para fazer um descafeinado é preciso eliminar esse pó branco, explica Rute Narciso, especialista em café da Nespresso. Para poupar tempo e dinheiro, a indústria começou a usar solventes, mas basta lavar os grãos com água, continua. É essa a prática da Nespresso, água em estado líquido e gasoso. Ainda assim, este método não tira a totalidade da cafeína e, cumprindo as regras europeias, o peso desta é de 0,1% no café descafeinado. “Isto é feito de forma totalmente natural”, garante a especialista, sem, no entanto, revelar o tempo ou a quantidade de água necessários para libertar os grãos de café da cafeína.

E, por ser lavado em água, o café é mais aguado e tem menos sabor? O segredo está na torrefacção e na moagem, são estes dois processos que “influenciam o corpo e a cremosidade do café”, explica a especialista. “A intensidade nada tem que ver com a cafeína”, assegura.

Por tudo isto, o descafeinado é mais caro. Por exemplo, na Nespresso, uma cápsula de um café com cafeína pode custar 0,37 euros e o descafeinado é dois cêntimos mais caro. “O processo encarece-o”, informa Rute Narciso, durante a apresentação do Ristretto Decaffeinato.

A Nespresso tem mais de duas dezenas de cápsulas diferentes, dos cafés mais fortes aos mais suaves, e o Ristretto é o best-seller da marca em Portugal, talvez porque se trate de um café forte. Agora, a multinacional suíça apresenta o seu “alter ego”, como lhe chama Rute Narciso, o descafeinado, muito semelhante ao que tem cafeína.

A marca tem vindo a apostar nos descafeinados, no entanto, por cá, menos de um quarto dos consumidores bebe este tipo de café. “Quando perguntamos porque é que os clientes não bebem descafeinado, a resposta é que não encontram sabor ou que é pouco intenso”, explica Rute Narciso. Na apresentação, os jornalistas confirmam que a intensidade do café – que a Nespresso mede de 1 a 10, e neste caso é um 10 – nada tem que ver com o ter ou não cafeína.